quarta-feira, outubro 17, 2012

enquanto espero que o mário faça as gambas, vou tentar colocar aqui alguma coisa. digo tentar, porque estou a escrever com a mão esquerda e isso cansa-me. fomos a liboa em setembro, fiz a minha exposição na galeria habitual...e dei uma queda em casa. resultado: fiz duas ruturas de ligamentos no ombro direito, o que me tem trazido vários dissabores. hoje o ortopedista disse que teria de ser operada. mas as operações aqui são incomportáveis... vou tentar saber quanto custa em lisboa. talvez dê para voltar e fazer a operação em portugal. pronto o braço já se cansou.

segunda-feira, julho 16, 2012

Há mais de 5 semanas que ando mal da garganta. Começou com uma constipação, depois passei a ter uma tosse impertinente que dura até agora. Alguma febre baixa pelo meio. Fui ao médico. Não sabe o que é. Xarope, antibiótico e mais uma outra droga qualquer. Umas vezes estou bem outras nem por isso. Devo voltar ao médico na 4ª feira. Uma antiga aluna minha de Timor passou por Singapura e queria ver-me. Tudo bem. Volto a sentir-me mal e pronto lá se foi o encontro. A seguir ao almoço, sentia-me bem e lá fui transplantar umas plantinhas que tinha semeado há tempos. Espero que dêem alguma coisa. As sementes de meloa deram melos minúsculas que feneceram e uma maiorzita que estacionou e dei aos pássaros. As buganvílias estão a desencolver-se muito bem, assim como a palmeira de leque, o jasmineiro e uma arvorezita que tem crescido imenso e deitado raízes dos ramos que depois se metem pela terra dentro. Tem chuvido razoavelmente e os bambús da varanda agradecem.
Estas duas plantas estão a precisar de vasos maiores. Fico muito deprimida com as notícias de Portugal. A degradação moral é cada vez maior. Vale tudo, no meio político e não só. A corrupção é de alto a baixo. O país está a desmoronar-se. E a mentira descarada vale mais que a verdade. Vêm o aguilhão no olho do vizinho e não vêem a trave no seu próprio olho. Em Setembro vamos a Portugal. Faço uma exposição na Prova de Artista

quarta-feira, junho 20, 2012

tenho visto a tua sombra contra as vidraças o teu cabelo ondulando nas brisas de fim de tarde e imagino esse olhar incompleto no teu rosto devastado pela idade e o desassossego infernal dessa vida de alto a baixo o estremecer dos teus braços quase esqueléticos pobre homem ffg

quinta-feira, maio 31, 2012



quando os pássaros dormem
à minha porta
o vento adormece também entre
as ramagens das árvores altas

serenamente vigio o céu
até surgir o meteoro que iluminará
o que resta de mim

ffg

pressinto as imagens abaixo do horizonte
o evoluir das formas primordiais
no trajecto do tempo intemporal
a fixidez aparente das visões invasoras
que preenchem a estrutura dos pensamentos
voláteis
translúcidos
esgarçados
e imagino com nitidez absoluta
a relatividade desta alma
que me agita
me acaricia os cabelos
e beija os olhos

ffg

segunda-feira, maio 28, 2012

11:14 h da manhã
tenho um sono!...
já dei de comer aos pássaros que me seguiam no jardim

continuo vazia


domingo, maio 27, 2012

semeei vários girassóis no jardim
não sei se eles se darão bem na terra barrenta...

hoje terminei a selecção dos trabalhos que aparecerão na exposição de setembro

estava a pensar mandar imprimir cá, mas é complicado para fazer a montagem
e enviar para lisboa

queria também levar uma serigrafia mas ainda não me disseram quanto custa imprimi-las


estou satisfeita por estar a ficar mais livre de preocupações relacionadas com a expo

quarta-feira, maio 23, 2012

ah apareceram depois de ter colocado outra mensagem

não estou com alucinações


por enquanto
1:09 e não há sono
volto aqui e não encontro as duas últimas mensagens que coloquei...

foram passear mas amanhã já cá devem estar de novo
Estou deprimida com o montante do IRS

Como podem tirar tanto aos reformados?
a venda nos meus olhos

as ventoinhas



o ego

o centro do mundo
do universo

a dor de cabeça

o barulho dos pensamentos

há uns tempos para cá
lembro-me com frequência de Nova Zelândia

no regresso da ilha do sul
fizemos uma paragem numa vila, à beira mar
ficava enterrada numa das profundas reentrâncias
de que é feita a costa

dum lado o mar acinzentado
do outro as montanhas verdes

fiz vários passeios a pé

andei nos calhaus rolados da praia
fotografei inflorescências como havia
no algarve e que me fascinavam

ainda sinto o vento fresco

o parque de campismo estava junto a um regato

um miúdo apanhava peixes pequenos
pretos
com uma rede em cone
e guardava-os num balde com água

mais tarde percebi que era irmão
duma linda menina a quem chamei little flower

a menina gostava de tagarelar comigo
exibir o vestido
oferecer bolachas

nos pastos havia ovelhas brancas

muito bucólico

pois estas imagens assaltam-me
ultimamente

gosto

segunda-feira, maio 21, 2012

farto-me de fazer rabiscos e macacada no ipad

vou-me divertindo, sabendo que não há nenhum interesse estético nestas experiências


mas pode ser que chegue lá...

por outro lado continuo com a fotografia e suas manipulações
comecei a arrumar papéis
detesto papéis
que não servem para desenhar

no facebook um querido amigo
com base na fotografia do perfil
diz que continuo bonita como sempre

a fotografia é muito antiga

e eu nunca fui bonita

quando o conheci dizia que eu parecia
a Ingrid Bergman...
ahahaha

os olhos vêem o que o coração vê.

ando um tanto aborrecida

parece-me que me estou a esvaziar

de repente nada me interessa, por alguns instantes...

falando de crop circles

estão sempre a aparecer
e nunca mais apanham os autores
tirando aqueles maduros que se denunciaram
mas que não me parece que saberiam fazer alguns desses trabalhos, muito complexos

vou comer qualquer coisa

domingo, maio 20, 2012

Todas as noites vou ver o pássaro que escolheu um arbusto do jardim para dormir.
Costuma chegar pelas 19h.
Refeições cozidas a vapor nuns recipientes de bambú. Excelente sabor.
acordar
às 8 da manhã

o sol passa pelas cortinas
bate de revés
nos meus olhos

o café
no jardim
procurando
as subtis diferenças
na vida de
cada planta

conversa
com deus